Organisers

Universidade de Vigo (UVigo) 

22.000 estudantes, perto de 13.000 graduados nos últimos 3 anos letivos

Criada em 1990, a Universidade de Vigo tem vindo a consolidar-se como uma referência de modernidade e inovação na Galiza.

Nos seus três polos – Ourense, Pontevedra e Vigo – são lecionados, atualmente, cursos nas áreas científicas, humanísticas, tecnológicas e jurídico-sociais, nos quase 30 centros, onde também desenvolvem a sua atividade os grupos de investigação. Uma rede de centros próprios completa o mapa das infraestruturas destinadas à investigação que a Universidade de Vigo tem, a qual conseguiu posicionar-se no 15º lugar da classificação das universidades espanholas em produção científica.

Moderna, a favor da igualdade de género, arrojada e plural, a Universidade de Vigo promove e facilita a mobilidade dos seus estudantes e lidera na Galiza o número de estudantes estrangeiros recebidos e de estudantes em mobilidade no exterior.


Universidade de Trás-os-Montes and Alto Douro (UTAD) 

7.000 estudantes e mais de 6.000 alumni

A universidade foi criada em 1986, tendo no seu historial uma valiosa herança recebida do Instituto Politécnico de Vila Real fundado em 1973. Assumindo um papel relevante enquanto agente de coesão territorial e de desenvolvimento regional, atualmente a UTAD é reconhecida no sistema universitário pela sua atividade nos domínios do ensino, da investigação científica, tecnológica e de extensão nas áreas científicas que marcam a sua matriz identitária.

A UTAD integra 5 escolas, 5 centros e diversos outros pólos de investigação e outras Universidades comprometidos com estruturas colaborativas, organizações e empresas, visando criar sinergias com forte impacto no território, no quadro do recentemente criado consórcio UNorte.pt que inclui as Universidades do Porto e do Minho.

Integra diversas redes e parcerias nacionais e internacionais, num quadro de participação concertada em estratégias regionais e transfronteiriças, mas com forte impacto na coesão e sustentabilidade territorial.


EURES Portugal

EURES é a rede europeia de serviços de emprego, criada em 1993, visando facilitar a mobilidade dos trabalhadores aos níveis transnacional e transfronteiriço, no âmbito do Espaço Económico Europeu (e Suíça) – uma área de intervenção que integra atualmente 32 países.

A EURES proporciona serviços de informação, aconselhamento e apoio ao recrutamento / colocação, promovendo o contacto direto entre candidatos a emprego e empregadores interessados em trabalhar / recrutar noutros países.

Em Portugal, a rede EURES está integrada:

com uma rede de 30 conselheiros EURES distribuídos por todo o país.


EURES Transfronteiriço Galiza / Norte de Portugal

Também integrada na rede EURES, esta parceria transfronteiriça foi criada em 1997, envolvendo atualmente 12 organizações parceiras, e visa proporcionar informação específica no que respeita à mobilidade transfronteiriça de trabalhadores e ao recrutamento de empregadores na euro-região Galiza / Norte de Portugal.

O serviço transfronteiriço inclui:

  • a facilitação do acesso a ofertas de emprego e CVs;
  • informação sobre questões práticas relacionadas com a legislação laboral, a fiscalidade e a segurança social em ambos os países;
  • informação sobre condições de vida e trabalho de ambos os lados da fronteira;
  • aconselhamento sobre oportunidades de formação e estágio.

Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal  (GNP-AECT)

Criado em 2008-2010, por iniciativa da Xunta de Galicia e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte de Portugal (CCDR-N), este Agrupamento pretende ser um ponto de encontro entre instituições, empresas e cidadãos de ambos os lados da fronteira, para a promoção de interesses e objetivos comuns, que criem maior valor do que o esperado individualmente pelos seus membros – fomentando as relações de colaboração em diferentes áreas de atuação.

Pretende, no essencial, promover e reforçar a competitividade do tecido empresarial através do conhecimento e da inovação, reforçar e racionalizar os equipamentos básicos transfronteiriços e aumentar a coesão social e institucional da Eurorregião.

É cada vez mais o agente dinamizador e de interconexão na Eurorregião, encarregado de estabelecer pontes de comunicação, diálogo, investimento e convergência entre vizinhos.


Loading...